Saúde

A Muda

 

Todas as espécies de aves, uma vez por ano passam por uma fase que chamamos de muda, apesar das penas serem muito resistentes depois de um certo tempo elas começam a apresentar desgastes naturais, sendo necessária sua troca. Este é um processo natural das aves e é regulado através de hormônios liberados pelas glândulas da tireóide.

Este período é cíclico e ocorre naturalmente uma vez por anos após a época de reprodução.

Quando a ave é saudável e bem nutrida, a muda é gradual, as penas vão caindo gradativamente e novas vão surgindo, não havendo falhas no corpo da aves, a duração de uma muda normal é de 6 a 8 semanas.

No caso da ave, ter mais de uma muda durante o ano, ou haver aparecimento da pele das aves ou ainda a muda perdurar por mais de 10 semanas, é um claro sinal deu que há alguma deficiência alimentar (carências de vitaminas e minerais), doenças, parasitose ou estresse.

Neste período podemos observar que as aves diminuem a quantidade de consumo de alimentos, justamente quando mais precisam, pois neste período o gasto energético é grande. Por isso que neste período é indicado uma suplementação alimentar adequada, que contenha ferro, cálcio e vitaminas.

Nos países de clima tropical como no Brasil, as aves normalmente trocam as penas, entre o outono e o inverno, onde a temperatura diminui e as noites são mais longas.
No final do período de muda, as novas penas estão mais viçosas, bonitas, a ave retorna sua vida mais ativa e volta a cantar.

A Muda

Todas as espécies de aves, uma vez por ano passam por uma fase que chamamos de muda, apesar das penas serem muito resistentes depois de um certo tempo elas começam a apresentar desgastes naturais, sendo necessária sua troca. Este é um processo natural das aves e é regulado através de hormônios liberados pelas glândulas da tireóide.

Este período é cíclico e ocorre naturalmente uma vez por anos após a época de reprodução.

Quando a ave é saudável e bem nutrida, a muda é gradual, as penas vão caindo gradativamente e novas vão surgindo, não havendo falhas no corpo da aves, a duração de uma muda normal é de 6 a 8 semanas.

No caso da ave, ter mais de uma muda durante o ano, ou haver aparecimento da pele das aves ou ainda a muda perdurar por mais de 10 semanas, é um claro sinal deu que há alguma deficiência alimentar (carências de vitaminas e minerais), doenças, parasitose ou estresse.

Neste período podemos observar que as aves diminuem a quantidade de consumo de alimentos, justamente quando mais precisam, pois neste período o gasto energético é grande. Por isso que neste período é indicado uma suplementação alimentar adequada, que contenha ferro, cálcio e vitaminas.

Nos países de clima tropical como no Brasil, as aves normalmente trocam as penas, entre o outono e o inverno, onde a temperatura diminui e as noites são mais longas.
No final do período de muda, as novas penas estão mais viçosas, bonitas, a ave retorna sua vida mais ativa e volta a cantar.

 

Auto-Mutilação das Aves

 

Algumas espécies de animais podem sofre auto-mutilação, é bastante comum com cães e aves. A auto-mutilação é  o processo mecânico da aves arrancarem as penas, e em situações mais graves, retirarem pedaços da própria pele. As causas são variadas, em geral relacionado a deficiências nutricionais, estresse profundo, alergias e ectoparasitas (como sarnas e piolhos). Este síndrome pode acometer todas as espécies de aves, porem, em psitacídeos (araras, periquitos, papagaios, calopsitas e etc) a freqüência é maior.

Ao perceber este hábito nas aves, deve-se procurar um Médico Veterinário para dar o tratamento não só no local da lesão, como também na causa do processo. Nos casos mais graves, feridas na pele podem se contaminar e levar a ave ao óbito.

A melhor maneira de evitar casos de auto mutilação é a prevenção. A suplementação adequada das aves evita as deficiências nutricionais, evitar alterações no habitat das aves, afim de diminuir o stress. Ter cuidado com agentes químicos (fumaça, aromas fortes, jornais para forrar gaiola), evitando processos alérgicos. E uma higiene adequada dos viveiros e gaiolas, evitando assim contaminação parasitária de piolhos e sarnas.

 

Intoxicação nas Aves

 

Uma das maiores ocorrências na Clinica Veterinária de Aves ornamentais são as intoxicações.

As causas podem ser variadas, e nem sempre percebemos que o perigo está bem próximo das aves. Na maioria das criações domésticas, as aves ficam dentro de casa ou na cozinha ou na área de serviço, já houve relatos de intoxicação por Politetrafluoretileno, polímero antiaderente que reveste algumas panelas, intoxicações por produtos químicos em aerossol como inseticidas, desengordurantes, aromatizantes entre outros. Intoxicações alimentares também são bem comuns, e estão relacionadas ao manejo; Sementes, rações industrializadas, frutas, verduras e legumes, devem ser trocados diariamente para evitar fermentações e possíveis intoxicações.

A utilização de incensos, e aromatizantes não devem ser utilizados próximos as gaiolas, assim como evitar fumaça de cigarros, pois alem de intoxicações podem haver aparecimento de processos alérgicos.

Outra causa muito comum são as tintas e vernizes de gaiolas, ao introduzir as aves em gaiolas e viveiros, devemos nos certificar que não há cheiro nem resíduo de tintas e vernizes, assim como se pintarmos o local onde as aves habitam, devemos retirar as gaiolas e viveiros e somente retornar após o cheiro desaparecer por completo.

A utilização de jornais para forrar fundo de gaiolas e viveiros é uma prática muito comum, as tintas utilizadas na impressão dos jornais e revistas, principalmente as coloridas, possuem metais pesados, principalmente chumbo, que é extremamente tóxico as aves. Algumas aves para fazerem ninho ou para se entreterem, tiram pedaços destes papeis e podem ingerira estes materiais tóxicos, é recomendado para forrar gaiolas papéis sem tintas.

Os sintomas mais comuns da intoxicação são: respiração ofegante, regurgitação, apatia (a ave fica no fundo da gaiola) e  perda de apetite, ao perceber um destes sintomas, procure imediatamente o Medico Veterinário, pois quanto mais rápido o diagnóstico e o tratamento maiores são as chances de recuperação.

 

Peito Seco

 

A maioria dos proprietários e criadores já ouviram falar no termo peito-seco, este termo é amplamente usando entre os criadores e entendidos em criação de pássaros e aves, porém muitas vezes é colocado de forma errônea.

O peito-seco, nada mais é do que forma popular do termo científico caquexia, ou seja, um emagrecimento grave da ave. Este emagrecimento é um sintoma, não uma doença propriamente dita. As Aves podem sofrer este severo emagrecimento por vários motivos: doenças parasitárias, doenças bacterianas, doenças virais, alimentação inadequada, estresse profundo, Coccidiose, entre outras.

É fundamental no caso do peito seco um diagnóstico preciso, pois desta forma podemos tratar a causa deste sintoma. O importante é ter sempre o conhecimento que o peito seco é um sintoma grave e não uma doença, precisamos saber qual a doença para trata-la de forma adequada.

 

Fonte: www.ourofino.com

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!