Nutrição

Alimentação

A alimentação das aves em cativeiro deve ser muito bem estudada, visto que na natureza há uma diversidade de alimentos que dificilmente conseguiremos fazer em cativeiro.

Cada espécie de ave possui uma necessidade nutricional e uma preferência alimentar, por isso é extremamente importante conhecer a espécie em questão. Como a diversidade nutricional em cativeiro é limitada, há a necessidade de suplementação vitamínica, mineral e aminoácida, constantes destas aves, o Bella Ave todo dia, foi especialmente desenvolvido para suprir todas as necessidades nutricionais das aves em cativeiro.

Produtos in natura, como frutas e verduras devem ser lavados e higienizados para não haver contaminação de doenças bacterianas, fúngicas ou parasitárias. E respeitar o horário de alimentação e a rotina das aves, preferencialmente fornecendo alimento ao amanhecer e no final da tarde.

O fornecimento de água deve ser constante, sempre limpa e filtrada e de acordo com a população de aves na gaiola. O consumo de água, varia de acordo com as espécies, com manejo nutricional e com a temperatura e umidade do local de criação.

Fonte: www.ourofino.com

 

A importância das Vitaminas, Minerais e Aminoácidos nas Aves

 

As aves ornamentais em cativeiro necessitam de uma suplementação diária de vitaminas, minerais e aminoácidos. Na natureza as aves dispõem de uma diversidade de alimentos que em cativeiro não é possível, logo esta suplementação se faz necessária.

Vitamina A: A deficiência de vitamina A é comum em aves mantidas com alimentação não balanceada, principalmente aves com dietas a base de sementes e frutas. Os sinais clínicos são sinusite, infecções respiratórias, placas nodulares brancas na cavidade oral (diferenciar de candidíase).  A vitamina A é uma substância importante na formação, regeneração e proteção da ectoderme e mucosas, primordial para o crescimento, desenvolvimento do esqueleto e fecundidade das aves. Além disso, atua no processo da visão, melhora a formação de anticorpos e a resistência humoral, a regulação do metabolismo de carboidratos e proteínas, previne conjuntivite, ceratite e descarga ocular em grandes psitacídeos, lesões cutâneas, perda de penas, anormalidades nas penas, espessamentos nos pés que causam pododermatites, eleva a resistência imunológica.

Vitamina D3: Esta vitamina e responsável pela fixação do cálcio na matriz óssea, mantém os níveis de cálcio na corrente sanguínea, e é de fundamental importância sua suplementação em aves em cativeiro principalmente as que ficam em gaiolas sem contato com sol, já que a fonte natural desta vitamina nos alimentos só é ativa na presença de raios ultra-violeta. A deficiência desta vitamina causa raquitismo, amolecimento do bico, fragilidade nos óssos e ovos.

Vitamina E: é necessária no metabolismo da célula (respiração celular, metabolismo do ácido nucleico); atua como antioxidante dos ácidos graxos não saturados e da vitamina A, causam menor eclosão dos ovos devido a morte embrionária, tendo relação direta com a reprodução, e é importante sua suplementação em aves que se alimentam de sementes com taxas altas de gorduras insaturadas, pois estes alimentos são pobres nesta vitamina.

Vitamina K3: As aves não sintetizam esta vitamina, fazendo necessária sua suplementação ou fornecendo fonte alimentar rica nesta vitamina como vegetais folhosos verdes. Esta vitamina esta diretamente relacionada com a coagulação, sua deficiência pode causar hemorragias, inclusive hemorragias espontâneas.

Vitamina B1: A deficiência desta vitamina causa alterações no Sistema Nervoso Central, causando tremores, incordenação e até mesmo convulsões.

Vitamina B2: Relacionada com hormônio do crescimento, formadora das hemáceas e regula as enzimas da tireóide. O principal sintoma de sua deficiência é em aves jovens que não atingem o tamanho ideal.

Vitamina B6: Proporciona imunidade celular, libera glicogênio hepático e muscular, e tem ação diurética. Sua deficiência causa alterações no Sistema Nervoso Central e anemia.

Vitamina B12: De fundamental importância no metabolismo celular e no crescimento, age como hepato-protetora. Sua deficiência causa  diminuição no crescimento, anemia e outros distúrbios sanguineos, e distúrbios no trato gastro-intestinal.

Sulfato Ferroso: Diretamente ligado a formação sanguínea (componente da hemoglobina e da mioglobina), tem fundamental importância na transferência de Oxigênio entre as células. Sua deficiência causa anemia, perdas sanguíneas, mais sensibilidade a infecções parasitárias e diminuição na absorção de nutrientes durante alimentação.

Sulfato de Zinco: Constituinte de diversas enzimas, e de grande importância no metabolismo dos ácidos nucleicos. Sua deficiência causa diarréias, dermatites orais e periorais e queda das penas.

Sulfato de Cobre: Componente essencial em diversos sistemas, diretamente relacionado com a formação de células sanguíneas, formação óssea e pigmentação de plumagem, além de interagir com zinco e com o ferro, ajudando na absorção dos mesmos. Sua deficiência diminui a absorção do ferro, em casos extremos de deficiência pode ocorrer falha na composição da medula espinhal podendo ocorrer até necrose cerebral.

Sulfato de Manganês: Ativador de diversas enzimas, forma a condroitina que é um componente essencial da cartilagem. Nas aves em crescimento sua deficiência causa perose (tensão solto), devido a má formação óssea.

Sulfato de Cobalto: Esta relacionado diretamente com a Vitamina B12, sua deficiência faz com que a B12 fique deficiente.

Sulfato de Magnésio: Participa da síntese de proteínas, da contratibilidade muscular e da excitação dos nervos. Sua deficiência causa anorexia, falta de crescimento, alterações cardiológicas e neuromusculares.

Iodato de Potássio: Agente anti-oxidante, regula hormônios da tireóide. Sua deficiência pode causar apatia, fraqueza muscular e insuficiência cardíaca.

Fosfato Bicálcico: Responsável pela mineralização da matriz óssea, mantendo a reserva de minerais nos ossos estando também diretamente relacionado com a Vitamina D, além de atuar na transmissão nervosa e na contração muscular. Sua deficiência causa fragilidade óssea, desordens hematológicas e renais.

Nicotinamida: É o principal componente das coenzimas transmissoras de Hidrogênio, essencial para o organismo. Previne estomatites e afecções orais.

Biotina: Atua no metabolismo das proteínas e dos carboidratos, sua principal funação é de neutralizar o colesterol. Sua deficiência provoca descamação da pele e consecutiva queda na plumagem e obesidade.

L-Lisina: É um aminoácido, sua suplementação reduz o consumo de proteínas cruas, tornando a suplementação mais saudável.

DL-Metionina: Aminoácido essencial, tem função lipotrópica, proibindo a coesão de gorduras no fígado. Previne doenças hepáticas, melhora penas, unhas e bico.

Cloreto de Colina: Animais que consomem rações ricas em grãos podem desenvolver deficiência. A colina possui função essencial na transmissão neuromuscular. Sua deficiência pode causar acumulo de gordura no fígado e deformações nas articulações.

Ácido Glutâmico: Participação direta no metabolismo celular, atua também como neurotransmissor, atuando no metabolismo cerebral, atua como desintoxicante, facilita a cicatrização.

 

Fonte: www.ourofino.com

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!